JÚLIO POMAR: CADEIA DA RELAÇÃO

15,00€

JÚLIO POMAR: CADEIA DA RELAÇÃO

15,00€
1

JÚLIO POMAR: CADEIA DA RELAÇÃO. COORD. MARIA RAMOS. PORTO: MUSEU SERRALVES: CIVILIZAÇÃO, 2008. DE 27X21 CM. COM 179, [1] PÁGS. ILUST. + ERRATA ([1] FLS.). E.

Júlio Pomar é provavelmente o mais reconhecido artista português em Portugal. O seu trabalho começou no fim dos anos 1940, altura em que era a figura principal do movimento do Realismo Social, sendo ao mesmo tempo muito activo na resistência política à ditadura. O seu activismo político valeu-lhe mesmo cadeia. Em 1963 exilou-se em Paris, onde desenvolveu uma obra que regressaria ao país via importantes exposições organizadas pela Fundação Gulbenkian. A sua pintura tornou-se abstracta e informal.

A exposição "Cadeia da Relação" foca um período específico do seu trabalho, desenvolvido nas décadas de 1950 e 1960, altura em que surgem as suas primeiras assemblages e uma série de pinturas que resultam de um confronto entre a tela crua e a cor e nas quais a colagem desempenha um papel central.

Este catálogo documenta a exposição, incluindo, além de imagens das obras expostas, um ensaio de João Fernandes (director do Museu de Serralves), uma entrevista com o artista e uma lista de exposições e biografia. [exemplar novo]

Apenas 1 Unidades disponíveis

Também pode estar interessado em